Buenos Aires, Tango e Paixão – O Gran Café Tortoni

A dica de hoje vai para aqueles apaixonados que planejam passear em Buenos Aires. Entretanto, já vou logo avisando: Sou suspeita para falar da cidade. A rivalidade entre Brasil e Argentina muitas vezes impede as pessoas de enxergarem o quanto esse país é lindo e tem a nos oferecer com o seu turismo, especialmente a sua capital, Buenos Aires. Buenos Aires tem cheiro de tango, portanto, exala paixão. Se somarmos a essa atmosfera a combinação boa comida + excelentes vinhos e uma vida cultural de primeira linha, temos uma cidade perfeita para férias a dois.
Passeios de mãos dadas por lá são sem sombra de dúvidas uma delícia! A capital portenha tem lugares e paisagens que fazem o coração parar! Não tem como dizer que a cidade não é um lugar romântico!
Dentre os vários lugares gostosos para se visitar, existe um que traz essa atmosfera boêmia que o tango carrega consigo junto a muita tradição e cultura. Para mim não tem como ir a Buenos Aires e não passar por lá. Sem falar que de todos os shows de tango que já assisti na cidade, esse foi um dos mais especiais. Estou falando do Gran Cafe Tortoni, um dos lugares mais tradicionais, charmosos e românticos de Buenos Aires! Vamos lá?

Buenos Aires, eu e o Tango

Antes de mais nada preciso confessar: Eu sempre sinto algo especial quando ouço um tango. Ele é um ritmo apaixonado, que nasceu nas zonas de baixo meretrício de Buenos Aires. Seus cantores e compositores tinham aquela aparência de cafajestes conquistadores, haja vista a pose de Carlos Gardel. Depois, com Piazzola, sem duvida alguma o meu preferido, o tango ganhou uma aura diferente, para além das milongas. Mas seja como for, ele é uma música que penetra a nossa alma.
Embora o sentimento sobre o tango fosse coisa antiga, foi certamente em terras portenhas que pude ver o significado daquele ímpeto derramado nas milongas lotadas de pessoas que dançam extasiadas até o dia amanhecer. Tive a oportunidade de visitar algumas. Essa das fotos abaixo é a Confiteria Ideal, templo tangueiro e milongueiro da cidade. Lá é sem dúvida alguma um dos lugares mais tradicionais da cidade. Lá, inclusive, foi usado como locação para o filme Evita, de 1996.
Acabei não tendo tido coragem de me entregar à dança porque senti-me intimidada diante de tamanha destreza dos locais. Mas confesso: o coração se inundou só de assistir àquelas pessoas dançando.

Tango raiz

Mesmo não dançando, eu queria vivenciar experiências de tango. Foi assim que além das Milongas, eu procurei shows de tango que estivessem fora do ritmo de jantares e super produções. Numa tarde, após um passeio, meu companheiro e eu fomos tomar um café em um lugarzinho charmoso na Avenida de Mayo ao lado da Academia Nacional del Tango. Conversando com o garçom, ele nos contou que lá na casa havia um show lindo. Meus olhos brilharam!

O Gran Cafe Tortoni

É engraçado porque não se sabe muito sobre os primórdios do Gran Café Tortoni. Dizem que em 1858 um imigrante francês chamado Touan o inaugurou. Dizem também que seu nome foi emprestado de um café no Boulevard des Italiens em París. Lá a elite da cultura parisiense se reunia no século XIX.
Ao que tudo indica, no fim do século XIX o Cafe Tortoni foi comprado por outro francês: Dom Celestino Curutchet. Segundo relatos de frequentadores da época, ele era uma figura tarimbada, quase um personagem de quadrinhos.
Mas foi na década de 1920 que o Café Tortoni ganhou fama. Ele era então referência por ser frequentado pela classe artística da cidade. Nesta época, Buenos Aires era conhecida como a Europa dos Trópicos.
Segundo o site do café, em maio de 1926 pintores, escritores, jornalistas e músicos formaram um grupo chamado “La Peña”. Juntos eles pediram a Dom Celestino Curutchet que os deixasse usar a adega do subsolo. É esse o local onde atualmente acontecem os shows de tango. O dono aceitou a proposta porque “os artistas gastam pouco, mas dão brilho e fama ao café”.

O clima de boemia do lugar faz a gente se sentir parado no tempo. Na parte de cima, um salão de bilhar, figuras em tamanho natural dos ilustres visitantes, abajours coloridos a venda por todos os lados e mesas charmosas.
No entanto, como bem sabemos, a melhor parte do romance não acontece diante dos olhos de todos. Sendo assim, para ir até a antiga bodega e vivenciar a experiência de tango que eles nos oferecem é preciso reservar com antecedência.

O Show de tango

Lá embaixo, nada de pompa: o amor é retratado em carne viva na pele dos artistas que contam a história do tango através da música ao vivo e da dança.
Casais deslizam pelo palco acompanhados por um cantor ao som do piano, do violino e do bandoneon. Eles embevecem os olhares ávidos daqueles que assistem ao show.
No momento em que já estamos praticamente sem fala, o cantor nos convida a compartilhar com ele aqueles momentos de puro êxtase cantando em coro um dos clássicos de todos os tempos El dia que me quieras de Carlos Gardel. Mesmo aqueles que não falam a língua, acabam cedendo ao envolvente chamado para fazer parte daquele arrebatador momento de amor coletivo.
No meio do caminho, como que para quebrar o gelo, um pouco de danças folclóricas gauchas (que não são somente típicas no Sul do Brasil).
Ao final do show, nos sentimos como se precisássemos de mais, e mais, e mais paixão, pois o tango inspira os corações.
Mas isso em Buenos Aires é fácil: uma garrafa de vinho e o aconchego dos braços do amado, enaltecido pelos ares da cidade, acalmam qualquer coração desejoso…
Serviço:

Endereço: Avenida de Mayo 825 (Buenos Aires)
Telefone para reservas: +54 (11) 4342-4328
E-mail: tortoni@cafetortoni.com.ar

About Nicole Delucca Linhares

Uma jornalista obcecada pelo lado bom da vida que está sempre em busca de experiências românticas para dividir com o mundo. Apaixonada por comidinhas, pores-do-sol, plantas, livros, cinema, viagens e teatro. É também professora de italiano, cozinheira para todas as horas, filosofa de boteco e, por fim, uma mistura doida de Minas, Itália e Piauí!

2 comments on “Buenos Aires, Tango e Paixão – O Gran Café Tortoni

  1. oi, qdo sai o próximo vôo pra Buenos Aires? rs…
    Vc já havia me ocnvencido a ir qdo conversamos, mas dpois de ler essa descrição deliciosa de sua percepção sobre a europa dos trópicos, a vontade cresceu mais ainda!

    Bjnhos…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *