Pimenta, Tequila e Amor… Uma viagem romântica por San Diego

Uma panorâmica da cidade
Finalmente aqui estou eu de volta com a série sobre a Califórnia. Já falei sobre os encantos de San Francisco, o romantismo ébrio do vale dos vinhedos e agora apresentarei a vocês um sabor um pouco mais picante, que fica a uns vinte minutos do México: a bela cidade de San Diego.
San Diego dá uma primeira impressão: os passeios ótimos para serem feitos com crianças. Sim, absolutamente esta é uma cidade na qual um dia voltarei com meus filhos quando eu os tiver. Sea World, San Diego Zoo (aliás, um dos melhores zoológicos do mundo!) e o Balboa Park com todos os museus e atrativos para crianças são apenas alguns exemplos do potencial infantil desta cidade.
Entrada do Museu Midway
Mas San Diego não é só isso. Para aqueles que gostam de apreciar as forças armadas, a marinha norte-americana está presente por lá com direito ao museu marítimo, onde se podem conhecer submarinos e navios antigos, além, é claro, do Midway, um porta-aviões enorme que virou museu e foi usado pela marinha americana pela ultima vez na guerra do golfo.
Folder dos Caça-Fantasma/Guias
Sim, esses são passeios não tão românticos, e certamente não adiantaria muito aos românticos de carteirinha se eu disser que San Diego é conhecida por ser uma das cidades mais mal assombradas dos Estados Unidos. Por vários dos lugares que passeamos em Old Town encontramos placas diante de casas e construções avisando-nos que aqueles são lugares assombrados. Com a mesma facilidade com a qual ouvimos histórias de fantasmas, encontramos também guias turísticos incomuns, que nos oferecem aventuras de caça-fantasmas: excursões que exploram os locais supostamente assombrados na calada da noite, com direito a medidores de energia eletromagnética e tudo mais.
No entanto o que interessa a nós, aqui, definitivamente não são os bombardeiros que conheci nessas andanças, e menos ainda gastar as belas noites da cidade caçando supostos fantasmas. O que nos interessa é aquilo que San Diego pode oferecer àqueles que pretendem curtir boas férias a dois. A cidade em si é linda. As praias de lá são muito convidativas, e embora tenha feito frio nos dias que estive por lá, passeei de carro pela costa e pude ver que a estrutura das praias é excelente e que num belo dia de sol, não deve ter nada mais delicioso do que dar uns mergulhos por ali ao lado de quem a gente ama.
Pequena amostra da El Agave
A proximidade com o México faz com que a cidade tenha um tempero picante a mais. Aos adeptos da tequila, San Diego é o paraíso. As tequilarias, além de lindas, nos levam para aquele clima Mexicano, com direito a mariachis, comidinhas e pimentas inesquecíveis. Um bom exemplo desses lugares é a El Agave Tequileria. Ela fica bem pertinho de Old Town, a cidade velha. Ao chegarmos lá encontramos um clima delicioso, à meia luz, várias estantes com todos os tipos de garrafas de tequilas que conseguirmos imaginar. A marguerita é deliciosa, mas é a comida que dá um show à parte, em especial, a seção de frutos do mar. O Camarón Guajillo é um dos meus preferidos: camarões enormes, marinados em um molho á base do chille guajillo servido com azeite numa cama de arroz e feijão mexicano. Uma delícia! Para aqueles que gostam de um toque agridoce, vale a dica do Camarón Tamarindo, que é o camarão grande servido ao molho de tamarindo, muito bom também.
O que eu acho que faz com que uma tequilaria seja um lugar romântico? O clima. O ambiente a meia luz, a música mexicana de fundo, a presença de mariachis, a boa comida e a comensalidade é um adendo para que nos sintamos à vontade no lugar. Fora, é claro, o fato de que a tequila ajuda a quebrar inibições e nos deixa bem mais propensos ao amor… sugestivo, não?
Entrada de Old Town
Outro programa delicioso de se fazer em San Diego é um belo passeio por Old Town. Old Town é um capítulo à parte na cidade. Em um dado momento a prefeitura de lá decidiu que nove quarteirões do centro seriam preservados como patrimônio histórico cultural. Uma recordação do primeiro povoado europeu na cidade. Lá a gente encontra construções antigas, dos tempos da colonização espanhola. Ali temos uma idéia daquilo que foi a vida em San Diego entre 1821 e 1872. Cada casinha tem a sua história e é impossível não parar em cada uma delas para saber como são por dentro. Escolas, delegacias, cemitérios, missões, casas de família, lojas antigas são alguns exemplos.
Outro lado de Old Town são os restaurantes mexicanos espalhados por todos os lados que disputam os clientes no melhor happy hour do oeste! Encontramos também muito artesanato bonito, boas degustações de vinho –viram? não é só de tequila que as pessoas vivem por lá!
Em Old Town, a melhor coisa pude fazer foi dar um belo passeio geral pelos arredores e depois parar para descansar na praça central. Lá é um lugar muito gostoso para se ficar de mãos dadas vendo o movimento passar. Isso, acredito eu, foi possível em parte por causa da época: viajar fora da alta temporada é bom porque a nossa vista nesse tipo de lugar não fica anuviada pela quantidade excessiva de turistas. Essa é uma dica: lugares tipicamente turísticos podem ser mais aconchegantes fora da alta temporada, que no meu caso foi o mês de Abril.
Restaurante em Old Town
Depois do descanso, o happy hour é inevitável. A partir das cinco da tarde todos os museus fecham para visitações regulares. Sendo assim, depois de conhecer a parte histórica de Old Town, a dica é sentar nos barzinhos, cantar junto aos mariachis, beber boa tequila e comer boa comida. O ventinho das sete da noite é um excelente convite para ficar sentado lado a lado de mãos dadas. A tequila esquenta o corpo por dentro, abrindo a brecha para que o coração se aqueça e esse seja só o início de uma noite romântica. Vale curtir o momento.
Vista linda do Balboa Park
Por último, mas não menos importante, gostaria de chamar atenção para o Balboa Park. Esse é um lugar absolutamente encantador que abriga boa parte da vida cultural de San Diego. Os jardins de lá são maravilhosos, desses que a gente tem que sentar e contemplar um tempo. Aconselho assim visitar a cidade na primavera, como eu fiz. A paisagem com certeza fica bem mais bonita. Se o casal for adepto de fazer uma boa caminhada, coloquem seus tênis e não percam tempo. Lá é excelente para isso. Ainda de quebra, no meio da caminhada, dá pra fazer algumas pausas para ir aos museus, sentar, tomar um café nos restaurantes de lá, jogar conversa fora e namorar bastante.
Bom… San Diego está ai! Na próxima, encerrando a nossa viagem pela Califórnia, falarei de Los Angeles, a cidade dos anjos, das estrelas, e porque não, dos amores?
Até a próxima!

1 comment on “Pimenta, Tequila e Amor… Uma viagem romântica por San Diego

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *