Um passeio de mãos dadas em Ouro Preto



Foto: Nicole Delucca Linhares

Já falei sobre Ouro Preto em outro post aqui no blog. Foi em 2009. Ai você me pergunta: mas outra vez? E eu te digo sim! É que sempre que vou lá me apaixono por alguma coisa diferente e tenho algo novo para contar. Reitero o que já disse antes: Ouro Preto é uma cidade de amores e o clima da poesia que paira no ar dá vida àquelas ladeiras. Podem rir se quiserem, mas sempre que passeio por ali fico com o cancioneiro de Marília de Dirceu, de Tomás Antônio Gonzaga, reverberando em minha cabeça. Um deleite interior para mim, que nessas horas agradeço às professoras de literatura que tive quando adolescente que me faziam decorar poesias como exercício de memória. Elas tinham razão quando diziam que em alguns momentos da vida lembrar-nos de belos versos de cabeça seria como um presente.

Desta vez estive em Ouro Preto por um dia. Era um feriadinho morto, dia 1º de maio, plena quarta-feira, no meio da semana, ninguém iria emenda-lo. Então o que fazer? Pois meu pai, fotógrafo por deleite, iria se reunir com alguns colegas para fotografar em Ouro Preto. Sairíamos de BH cedinho e voltaríamos no final do dia. Não pensei duas vezes: mesmo não sendo de mãos dadas com um cobertor de orelha quentinho, desbravar as ladeiras de Ouro Preto é sempre um programa bem vindo.



Foto Nicole Delucca Linhares

Agora eu enxerguei Ouro Preto pelas lentes de minha câmera e com isso acabei vendo novos detalhes e encontrei novos lugares favoritos por lá. Para não me perder naquela imensidão de temas fotografáveis, procurei me ater às ladeiras e ruelas da cidade. É que elas parecem ter vida própria. É como se enquanto passamos por elas pudéssemos ouvir as paredes das construções nos contando todos aqueles anos de história que elas viram passar: de revoluções conspiradas aos sussurros, aos murmúrios de juras de um amor proibido.




Foto: Nicole Delucca Linhares

Ahhh se aquelas ladeiras falassem… mas espere! Elas falam. Falam através de sua arquitetura, daquilo que lhes restou, de como o tempo as conservou. Elas falam através das pessoas que as sobem e descem – e às vezes também por elas escorregam! Elas falam, falam diretamente aos nossos corações quando olhamos para elas e suas construções tão antigas e nos remetemos a outros tempos. Elas nos falam quando chegamos lá em cima em seus topos e nos emocionamos com a vista maravilhosa das montanhas com o Pico do Itacolomi bem ali desenhadinho. O velho e o novo tudo misturado. É poesia ambulante por cada cheiro que sentimos, por cada telhado que vemos, e por cada pedra que pisamos.




Foto: Nicole Delucca Linhares

E então? Como não se apaixonar por um lugar como esse? Ou ainda: como não se apaixonar em um lugar como este? Nas ruelas de Ouro Preto encontrei o passeio de mãos dadas perfeito! E como seria então este passeio? Pois bem… em primeiro lugar eu diria com direito a pausas para observar a vista do alto e beber uma água, e também com uma boa pausa para sentar-se num cantinho escondido e namorar. A caminhada também tem direito a uma parada para o amendoim torradinho com açúcar e cocada dos ambulantes na Praça Tiradentes. Ou se preferirem a pausa pode ser para o chocolate em algumas das lojinhas especializadas que encontramos por lá. Essa, aliás, é uma boa pedida, principalmente se estiver fazendo frio: nada como um chocolate quente! O passeio pode incluir também uma voltinha na feirinha de artesanato e depois, porque não? Uma ida à casa de Tomás Antônio Gonzaga, que fica logo ali ao lado. Não pode faltar também em uma boa caminhada por Ouro Preto paradas nas igrejas. Aproveitem para visitar as que estiverem abertas, mesmo que vocês não sejam religiosos, elas são lindas e a energia ali é muito, muito gostosa.



Foto: Nicole Delucca Linhares

Ouro Preto é sempre um passeio delicioso, cheio de cores, principalmente se o dia estiver bonito como aquele feriado estava. O céu azulzinho: fazia frio na sombra, e calor no sol. Andando pelas ladeiras de Ouro Preto é gostoso observar as pessoas. Aconselho muito uma parada só para ver a vida passar, como as namoradeiras esculpidas que eles vendem para colocarmos nas janelas de nossas casas. Elas observam a vida passar. Nesse processo acabei vendo os loucos da cidade, a banda que se preparava para tocar, crianças que brincavam nas fontes. Conheci um velhinho que aos quase 90 anos de idade subia e descia contente a ladeira onde mora. Foi observando o movimento, a vida das ladeiras, que vi também estudantes pregando peças uns nos outros, estrangeiros maravilhados com a nossa história, enfim… eu vi a vida sendo encenada e sem direito a ensaio!




Divulgação

Ahhh eu já ia me esquecendo: Passeio de mãos dadas em Ouro Preto também precisa ter direito à pausa para o por-do-sol na montanha. Sem sombra de dúvidas um dos mais bonitos que já vi. Depois, de noitinha minha dica é um jantarzinho gostoso, regado a um bom vinho e um cobertor nas costas. O restaurante O Passo é a minha dica de hoje. Na verdade lá é uma pizzaria que serve comida italiana de primeira qualidade e que de noite traz apresentações de Jazz super aconchegantes. É… essa Ouro Preto do velho e do novo vive surpreendendo a gente, não é?




Foto: Nicole Delucca Linhares

Depois do jantar, para pernoitar, você pode escolher entre as várias pousadinhas gostosas espalhadas pela cidade. Já até indiquei aqui no outro post a Sinhá Olimpia. Mas hoje quero indicar também um hotel lindo que visitei desta vez: o Hotel Solar do Rosário. Pois é meus amigos, agora estou chick, este é um hotel 5 estrelas. O simpático recepcionista que me atendeu me disse que lá é o preferido das noivas que se casam na cidade. Ele me contou também que o dono do hotel tem um carro antigo e que ele leva as noivas até a igreja com este carro quando o serviço é contratado. Imaginem que luxo! A construção do hotel é belíssima e data do século XIX. Lá dentro, no restaurante, que também atende ao público geral, vemos lustres maravilhosos, arranjos de mesa muito românticos, enfim… não preciso nem dizer muito o que me chamou atenção lá dentro, não é verdade? Basta olhar as fotos (vasculhem o site!!!) Me apaixonei pelo local. Quem puder se dar direito à extravagancia (que não precisa ser todo dia, só em ocasiões bem especiais), aconselho fortemente.

Foto Nicole Delucca Linhares

Termino aqui as minhas novas impressões sobre Ouro Preto ansiosa pela minha próxima ida à cidade. Quantos segredos mais a antiga capital de Minas Gerais ainda nos guarda? Só tem um jeito de descobrir….

Até a próxima!

Serviço:

Restaurante O Passo:
Rua São José 56, centro. Ouro Preto – MG
http://opassopizzajazz.blogspot.com.br/
Funcionamento:
Segunda a Domingo: 12:00 – 24:00
Hotel Solar do Rosário:
Rua Getúlio Vargas, 270 – Bairro Rosário
Ouro Preto – MG
http://www.hotelsolardorosario.com/blog/
Telefones:
(55-31) 3551-4200 | 3551-5200 | 3551-5353
Pousada Sinhá Olimpia:
Rua Dom Helvécio 180 – Cabeças Ouro Preto – MG
http://www.sinhaolimpia.com.br/ Tel.: +55 (031) 3551-6369

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *