Um retorno ao romântico em nossa linda BH

E depois de um longo inverno retorno ao blog. Estive em crise. Estive em crise romântica. Não conseguia enxergar lugares românticos para trazer para cá. Pensei inicialmente que o problema estava ao meu redor, mas depois, olhando com olhar mais apurado, percebi que o problema estava na miopia do meu olhar. Passar por um momento pouco romântico, aliado à mesmice acabou me tirando a sensibilidade para enxergar com o coração.
Esses dias conversando com um amigo ele disse que a namorada atual dele gosta muito de frequentar restaurantes bacanas na cidade, mas que ele não curte tanto esse tipo de programa. Então, fui pensar com meus botões: quem foi que disse que casal só pode ir pra restaurante ou pousadinha? Onde está a inventividade para enxergar o romântico naquilo que é pouco convencional?
Outra coisa, eu venho também questionando muito a real necessidade de se gastar rios de dinheiro para ter uma experiência romântica. A cada dia que se passa mais eu percebo que o romântico está menos no lugar e mais na experiência e nos sentimentos que aquele lugar te proporciona. Já há algum tempo tenho me dedicado aqui a procurar points menos badalados em Belo Horizonte, para oferecer programinhas alternativos aos casais que querem sair da rotina.
Mas agora vou além. Proponho-me a buscar em minha memória afetiva os lugares da cidade que mais me suscitam aquela vontade de estar junto de alguém. Vou trazer aqui lugares públicos ou não, um olhar da nossa bela Belo Horizonte com direito a vista da serra do curral e da cidade; com direito a pôr-do-sol gratuito; com direito a pipoca e água de coco, com direito a sorvete em fim de tarde, uma pitadinha do charme da nossa boemia e principalmente, com direito a romantismo inocente, desses, das antigas, de quando nossos avós saiam para a avenida Afonso Pena para fazer o famoso footing, onde a troca de olhares e os sorrisos escondidos mal disfarçavam o interesse mútuo.
E então pessoal, vamos passear por BH? Nosso primeiro point… bom, o que posso dizer sobre ele? É tradicional na cidade e vem encantando casais apaixonados há anos: Sempre foi lugar de paqueras na cidade. Lá tem gostinho de sorvete, está em um dos pontos mais charmosos da cidade e ainda de quebra, de vez em quando, nos presenteia com belíssimas manifestações artísticas gratuitas e repentinas. Alguém se arrisca dizer onde é? Curiosos? Aguardem até o final desta semana porque o post vai sair quentinho, quentinho para vocês!
Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *