Rua Pagu: comida de rua, sustentabilidade e muito astral em Curitiba

Oi, pessoal! Estou de volta para falar de um lugar com um astral muito bacana em Curitiba. Pense em um espaço supercharmoso, com jeito de quintal de casa, que reúne comida de rua, bebidinhas e música ao vivo, tudo ao ar livre: essa é a Rua Pagu!

Fotos: Carolina Mainardes

Fui conhecer o espaço no fim de tarde de uma segunda-feira nublada. (Estamos na Primavera, contudo o clima segue friozinho em Curitiba…) Mas, isso não atrapalhou e deu para sentir a atmosfera inspiradora do local!

Portanto, sem dúvida, um lugar romântico para aqueles que curtem um ambiente descolado e, ao mesmo tempo, acolhedor. Em dias de sol, ainda dá para contar com aquele espetáculo de cores no céu na hora do happy hour. Convidativo, não?

Localizada no bairro Juvevê, a Rua Pagu foi inaugurada em outubro. Um terreno que liga duas vias acabou formando um trecho caminhável, por isso a ideia de “rua”.

Logo na chegada, já dá para perceber a energia nos muros forrados com lambes com a imagem da personagem que dá nome ao local: Pagu.

As opções gastronômicas ficam por conta de duas marcas já conhecidas dos curitibanos: Choripan e Sirène Fish & Chips. Ambas, aliás, com cardápio delicioso servido em contêineres.

Como nasceu a ideia da rua pagu

Carol, Ana Luísa e Fabíola: sócias-proprietárias da Rua Pagu

A ideia da Rua Pagu surgiu do sonho de três empreendedoras – duas advogadas e uma turismóloga – que resolveram dar uma guinada na vida. Assim, elas foram buscar um ramo de atividade diferente.

Pensaram então na criação de um espaço em que pudessem unir ideais pessoais e satisfação profissional. Dessa maneira, portanto, nasceu a Rua Pagu.

Fabíola de Rezende Nespolo, uma das sócias-proprietárias, conta que o projeto é resultado do que elas vinham sonhando há algum tempo. “Queremos que a Rua Pagu seja o seu espaço, o quintal da sua casa, o seu escritório, o seu refúgio”, diz.

O lugar conta com decoração especial e intuitiva, música de qualidade e comidas saborosas. Opções variadas de chope e outras bebidas a preço justo compõem a proposta.

Conforme Carolina Coneglian Pimentel, outra sócia do local, a ideia do nome “Rua Pagu” tem a ver com o fato de serem três empreendedoras. “Buscamos inspiração em mulheres com uma história de vida e atuação marcantes”, frisa.

Até porque nesse ramo de atividade – bares –, o mais comum, contudo, é a presença de homens no comando.

Quem foi Pagu

 Rua Pagu Curitiba

Assim elas chegaram ao nome de Patrícia Rehder Galvão – conhecida como Pagu. Nascida em 1910, ela foi uma artista multifacetada e, inegavelmente, uma mulher à frente de seu tempo!

Pagu atuou como jornalista, poeta, escritora, tradutora, desenhista, diretora de teatro e militante política. Assim, tornou-se uma das figuras femininas brasileiras mais instigantes e, certamente, mais polêmicas do século XX.

Espaço para a sustentabilidade

A Rua Pagu também nasce com um propósito forte de sustentabilidade. Primeiramente, eco copos como alternativa para os de plástico e nada de canudos.

As proprietárias também pensam em buscar alternativas viáveis para a produção da própria energia.

Além disso, o mobiliário traz pneus, carretéis de madeira e barris – promovendo a reutilização dos materiais. E olha que a proposta vai ainda mais além.

“Queremos que as pessoas se apropriem do ambiente e ajeitem o espaço como preferirem”, comenta Fabíola.

Vale acrescentar aqui que a identidade visual da Rua Pagu foi sobretudo planejada a partir da história da personagem. Por isso, os lambes nos muros e barris e as cores preto e branco – que fazem referência aos jornais impressos, por exemplo.

Outro projeto superbacana que as proprietárias pretendem colocar em prática, posteriormente, é a promoção de oficinas de horta e também de graffiti – para começar. “A ideia é valorizar artistas locais e colorir os muros com arte”, conta Carol.

E olha só, quanto à oficina de horta, o plano é que os caixotes de madeira que já fazem parte do espaço sejam aproveitados para receber mudas de temperos. Assim, na sequência, eles serão utilizados na preparação dos pratos servidos na Rua Pagu.

Conforme Fabíola, “queremos que as pessoas se sintam parte do espaço”.

Gente, já imaginaram que delícia isso? Além de aprender a fazer sua própria horta caseira, ainda produzir os temperinhos para a produção dos lanches. Tudo de bom!

Outra possibilidade que está sendo planejada é a promoção de bazares com produção local e brechós da cidade, abrindo espaço para outras empreendedoras e marcas criativas. Enfim, são muitas ideias e novidades para movimentar a “rua” e contribuir com o desenvolvimento de novos projetos.

Choripan

Cardápio saboroso

Vamos falar um pouco do cardápio da Rua Pagu, que também tem como sócia-proprietária a Ana Luísa Richetti. “A ideia é que as pessoas fiquem à vontade e possam comer em pé mesmo, sentadas no chão ou até andando”, comenta.

O Choripan e o Sirène Fish & Chips foram os dois bares escolhidos para fazerem parte do empreendimento. Caracterizados como bares de rua, com comidas simples, saborosas e acessíveis, eles representam a essência do local.

O Choripan, com temática argentina, tem no cardápio o próprio sanduíche choripan feito com oito sabores de linguiças exclusivas e artesanais, empanadas, pelotas, churritos, além de chopes e caipirinhas.

Sirène Fish & Chips

Já o Sirène serve o delicioso fish & chips, também na versão sanduíche, além de chopes e drinks. As duas opções são realmente muito saborosas e o chope sai no capricho!

O sistema em contêiner também agradou em cheio as sócias. Elas comentam que as duas marcas oferecem produtos diferenciados, de qualidade e compatíveis com a ideia do espaço.

Atrações culturais

A música ao vivo completa o rol de atrações da Rua Pagu. “A proposta é um ambiente de bar, com cultura, arte e sustentabilidade acessível para a comunidade”, enfatiza Fabíola.

A agenda de shows, que acontecem de quarta a domingo no local, pode ser conferida nas redes sociais do espaço. Aliás, a trilha sonora é sempre de muito bom gosto, com música brasileira, artistas locais e discotecagem.

Atrair vários artistas para saraus e outros eventos é também uma ideia das proprietárias.

Divulgação

Então, só posso dizer que a Rua Pagu chega a Curitiba com uma proposta notável de espaço ao ar livre para agradar casais e grupos de amigos que curtem boa música, boa comida e o diferencial de estar em um ambiente de bar, mas, em uma rua.

Aqueles que preferirem eventualmente só dar uma passadinha por lá para pegar um lanche e seguir caminhando, também são bem vindos! Portanto, bora lá ocupar e vivenciar a cidade, afinal #somostodaspagu.

SERVIÇO:
Rua Pagu
Rua Alberto Bolliger, 120 – Curitiba

Segunda à quinta-feira – 17h30 às 22h
Sexta-feira – 17h30 às 00h
Sábado – 11h às 00h
Domingo – 13h às 21h

Facebook.com/ruapagucwb
Instagram.com/ruapagu
#somostodaspagu

Leiam aqui a minha coluna anterior sobre a CINEMATECA DE CURITIBA!

Até a próxima!

About Carolina Mainardes

Jornalista que adora histórias e lugares inspiradores! Tem paixão por arte, programas culturais, viagens e bons livros. Gosta de fazer novas descobertas ao caminhar pelas cidades. É especialista em História e Cultura, praticante de yoga e estudante de Francês – oui! Quer dividir por aqui momentos e dicas de lugares românticos de Curitiba, a capital mais fria, mas mais charmosa, do Brasil!

2 comments on “Rua Pagu: comida de rua, sustentabilidade e muito astral em Curitiba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *